Exigências do bem – Jack Johnson

Todo artista de renome, seja da música, do teatro, da dança, ou qualquer outra arte, tem no seu contrato uma lista de exigências, a ser cumprida pelos contratantes, sob pena de até a não realização do evento caso essas não sejam atendidas.

Pois bem, o cantor e surfista havaiano Jack Johnson, que fez até a semana passa uma série de shows no Brasil não foge a essa regra, ele também tem sua lista de exigências, mas o que surpreendeu os contratantes e a imprensa foi a disparidade da lista de Jack com as de costume de astros da música.

Acostumados a terem que importar água, wisque, charutos, cigarros, para atender aos mimos de vários nomes do mundo pop, os organizadores dos shows do Jack Johnson receberam uma lista muito mais interessante e politicamente correta.

Jack exigiu que os produtores instalassem bebedouros nas plateias de seus shows, para que ninguém precisasse comprar e descartar garrafas de plástico. Outra exigência é que a comida de Jack Johnson fosse orgânica, comprada de produtores locais. Tudo para economizar combustível e diminuir o impacto ao meio ambiente.

Johnson ainda doou todo o lucro dos oito shows que realizou no Brasil para ONGs que ensinam música, surfe e arte. E ele justificou em entrevista à Folha: “Não preciso desse dinheiro; consigo manter minha família e minha banda com a venda de CDs”.

Tá aí, um belo exemplo de preocupação com o meio ambiente e de cidadania.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 698 outros seguidores